Sosígenes Costa - Antologia poética
por Othon Bastos, Pedro Paulo Rangel, Numa Ciro, Érico de Freitas, Antonio Cícero, Nevolanda Pinheiro e Neide Archanjo


"O poeta Sosígenes Marinho da Costa (Belmonte, Bahia, 14/11/1901 - Rio de Janeiro, 05/11/1968) passou a maior parte da sua vida em Ilhéus. Ali, ampliou e amadureceu sua poética. Rimas raras, intensa musicalidade, imagens preciosas fazem dele um poeta originalíssimo, um cantor dos mitos do mar e da terra cacaueira.
Sosígenes, artista do verso, com sutilezas e cores de um miniaturista oriental, alça-se aos grandes poetas brasileiros da pré-modernidade."
Hélio Pólvora


Othon Bastos
  • Primeiro soneto pavônico
  • Nas asas vindo o sonho de Verona
  • No Jequitinhonha
  • A marcha do menino soldado
    Numa Ciro
  • Na casa de Açucena
  • Duas festas no mar
  • O tédio
  • Os pássaros de bronze
    Erico de Freitas
  • Soneto ao anjo
  • Estão as prostitutas no poente
  • Canção do pássaro viúvo
  • Case comigo, Maria
    Nevolanda Pinheiro
  • Flor de cacau
  • A aurora e os leopardos
  • Abriu-se um cravo no mar
  • Pavão vermelho
    Antonio Cícero
  • Crepúsculo
  • Obsessão do amarelo
  • Tornou-me o por-do-sol um nobre entre os rapazes
  • A zanga do rei de Ofir
    Neide Archanjo
  • Pavão azul
  • A canção do menino do Egito
  • Chuva de ouro
  • Sereno de santo
    Pedro Paulo Rangel
  • Dona Sancha se encontra entre as frutas-de-conde
  • É uma glória da China a porcelana
  • O triunfo do amarelo
  • Búfalo de fogo