Vinícius de Moraes por Odete Lara


"Há um lindo e antigo elo poético-musical-fonográfico entre Odete Lara e Vinícius de Moraes. Foi de vozes e mãos dadas com Odete que o tímido Vinícius entrou pela primeira vez num estúdio para gravar um disco - Vinícius e Odete, pela Elenco, em 1962. Eram tempos de astronautas, bênçãos e berimbaus. Os anos se passaram e, enquanto Vinícius tornou-se senhor dos estúdios, dos palcos e das luzes, Odete fez o caminho contrário: escolheu uma sombra onde recolher-se e buscar a sua própria luz interior - que encontrou. Agora, os dois estão de volta ao microfone. Só que, desta vez, Odete não tem Vinícius fisicamente a seu lado. Mas ele está dentro dela, dentro de nós, impregnando-nos com sua tremenda poesia. Odete diz Vinícius como Vinícius dizia Vinícius: com um véu na voz para disfarçar a clareza do pensamento e com um traço de melancolia para sublinhar a beleza desses versos cheios de compaixão".
Ruy Castro

  • A hora íntima
  • O poeta e a rosa
       E com diteiro a passarinho
  • Elegia desesperada
       (O desespero da piedade)
  • Soneto do Corifeu
  • Soneto do maior amor
  • Soneto do amor total
  • Soneto da separação
  • Soneto da fidelidade
  • O operário em construção
  • Poema de Auteil
  • Pátria minha
  • Mensagem a Rubem Braga

    Trilha sonora composta e executada por Geraldo Brandão.