Maria Julieta entrevista Carlos Drummond de Andrade


MARIA JULIETA DRUMMOND DE ANDRADE (4.03.1928 – 5.08.1987) entrevistou seu pai CARLOS (31.10.1902 – 17.08.1987) no dia 22 de janeiro de 1984. Dias depois ela editou e publicou a conversa no jornal O Globo, onde atuava regularmente como cronista e entrevistadora. A gravação original, em fita cassete, foi feita na sala de jantar da casa do poeta. Para atenuar barulhos externos e o chiado provocado pela ação do tempo no suporte magnético original, foram utilizados meios digitais de remasterização e edição do áudio. O objetivo foi preservar este importante registro da literatura brasileira.

  • Avesso a entrevistas chatas
  • Seis livros novos
  • Desabafo abafado
  • A crônica é um gênero engraçado
  • O amor carnal
  • Deus me chateia
  • A religião é um instrumento do homem
  • Me adaptei à vida
  • A poesia que eu faço
  • Tenho essa idade
  • Minha visão é pessimista
  • Não fui instrumento do Estado Novo
  • Me reservo uma posição de crítica
  • Um candidato civil
  • Escritor transformado em atração turística
  • Me falta tempo
  • Nunca tenho projetos
  • Sou metódico
  • A felicidade é circunstancial
    faixas-bônus:
  • A mão (por Carlos Drummond de Andrade)
  • José - remix (CDA & Billy Forghieri)
  • No meio do caminho - remix (CDA & Billy Forghieri)
  • O corpo e a linguagem (MJDA por Nevolanda Pinheiro)
  • A mesa (CDA por Paulo César Pereio)

    Audio em arquivos MP3, que podem ser ouvidos em computadores, MP3-players, na maioria dos aparelhos de DVD e de auto-rádios.